Muito se fala sobre os problemas que o Covid-19 pode causar nas pessoas após sua cura e nos últimos dias mais um efeito colateral grave acaba de ser descoberto: a surdez permanente. O fato teve grande repercussão e diversos especialistas estão investigando mais a fundo o fato. Segundo os pesquisadores que estão estudando profundamente o vírus, o fato trata-se de uma reação adversa rara. Porém, esta pode ser revertida desde que os sintomas sejam identificados rapidamente. A presente conclusão foi relatada em um estudo publicado recentemente pela revista científica BMJ Case Reports. A conclusão foi obtida a partir de um caso observado no Reino Unido.

O paciente observado, mais afetado por essa condição até agora, é um homem de 45 anos. O mesmo contraiu o Coronavírus e já estava hospitalizado quando a perda repentina de audição aconteceu. Foi um grande espanto para a equipe médica que teve de agir rapidamente. O homem foi encaminhado para o departamento de ouvido, nariz e garganta e para a UTI em seguida, com os sintomas da Covid-19 em estado grave. Depois de uma semana em que o tubo respiratório foi removido, o paciente começou a perceber um zumbido em seu ouvido esquerdo. Depois disso aconteceu a perda auditiva súbita. Para que o quadro fosse revertido, foi dado início a um tratamento contendo comprimidos de esteróides e injeções. Com o tratamento, o paciente teve sua audição recuperada, porém de forma parcial.

Segundo os pesquisadores, trata-se de uma reação adversa rara (Foto: Marcos Solivan/Sucom-UFPR/Divulgação)

De acordo com o estudo feito, o fato pode ter acontecido porque o SARS-CoV-2 se fixa em um tipo específico de célula que reveste os pulmões. Essas células também fazem parte do ouvido médio. Com isso, quando o organismo foi atingido, o vírus pode ter gerado uma resposta inflamatória também nesse local. O fato produziu o aumento nas substâncias químicas o que associou à perda auditiva. Ainda se tem muitos pontos a se considerar, porém esta é uma grande teoria e a mais assertiva neste momento.

Em entrevista os autores do relatório afirmaram que este foi o primeiro caso relatado de perda auditiva neurossensorial após infecção por Covid-19 no Reino Unido. Eles ainda falaram: “Dada a presença generalizada do vírus na população e a morbidade significativa da perda auditiva, é importante investigar isso mais a fundo.” De acordo com os profissionais, os médicos devem perguntar aos pacientes que estão em terapia intensiva sobre a perda auditiva e, caso necessário, encaminhá-los para tratamento urgente.

No Brasil, ainda não houve casos relatados de perda auditiva em pacientes que contraíram a Covid-19. De acordo com relatório divulgado pelo Ministério da Saúde, a  média móvel de mortes no país ficou em 499 nesta terça-feira. Os profissionais que estão na linha de frente na saúde brasileira já foram alertados sobre a possibilidade. Estes estão fazendo todos os procedimentos necessários para que nenhum cidadão sofra da perda.

Portanto, é importante reforçar que todos aqueles que já passaram pela Covid-19 fique atento a sinais e sintomas diferentes. Se algo diferente for percebido é essencial que se busque orientação médica para a reversão do caso. Esperar poderá ser prejudicial e tornar a perda auditiva algo irreversível.

Com informações de Exame.com

Tags: | |

Quer ficar bem informado?

Inscreva seu e-mail no Meu Grande ABC para receber atualizações com as últimas notícias da nossa região, do Brasil e do mundo, além de conteúdos sobre tecnologia, finanças, saúde, entretenimento e muito mais.

Não enviamos spam. Seu e-mail está 100% seguro!

Sobre o Autor

Redação
Redação

Encontre no Meu Grande ABC notícias publicadas nos principais veículos de comunicação da região e do país, selecionadas pelos nossos editores, além de conteúdo sobre tecnologia, saúde, bem-estar, entretenimento e muito mais.